Joomla 3.5 Templates by FatCow Complaints

O Mais Jovem Acharya na Tradição do Kriya Yoga

Publicado: Domingo, 16 Novembro 2014

O seu tempo com Shri Lahiri Mahasaya

     Durante os seus dias na escola secundária e faculdade, Bhupendranath ficou em albergues estudantis. Isso constituiu um problema por causa da instrução de se praticar o Kriya Yoga em particular (confidencialidade). A sua firme fé no seu guru preceptor e um profundo desejo de praticar o Kriya levou-o a uma solução. Enquanto todos os estudantes no dormitório estavam a dormir, com amor e devoção, Bhupendranath levantava-se e praticava o Kriya fielmente durante horas. Na altura em que os outros se levantavam, no início da manhã, ele ficava a dormir.

     Infelizmente, por causa desses hábitos de sono irregulares e da prática rigorosa, a sua saúde deteriorou-se. Profundamente preocupada, a sua irmã escreveu a Shri Gurudev informando-o do estado de saúde debilitado do seu irmão e da sua intensa prática de Kriya. Shri Lahiri Mahasaya respondeu:

"Não há nenhuma necessidade de se preocupar. Ele não vai morrer agora. Ele tem imenso trabalho a fazer."

Após este incidente a sua saúde começou a mostrar uma notável melhoria. Neste momento, ele estava hospedado em Sahebganj.

 

 

sanyalmahasaya 

 

O Mais Jovem Acharya na Tradição do Kriya Yoga

     Bhupendranath manteve as suas meditações de Kriya Yoga enquanto sofria de malária e outras doenças. Como resultado, ele foi capaz de aconselhar os seus discípulos sobre como praticar o Kriya durante períodos de convalescência.

     Uma das frases favoritas de Bhupendranath era:

"Onde há vontade, há um caminho!"

Se ele estivesse com outros e não conseguisse encontrar um lugar adequado para meditar, ele ia para o telhado da casa do seu discípulo irmão, Karmakar, que lidava com materiais de ferro. Apesar de todo telhado de Karmakar estar carregado com sucatas de ferro, ele acabava por encontrar um lugar vazio no canto para praticar silenciosamente o Kriya.

     Shri Lahiri Mahasaya estava imensamente satisfeito ao observar esta determinação tenaz e dedicação à pratica do Kriya Yoga. Na verdade, ele já sabia o destino deste jovem rapaz muito antes de se encontrarem; portanto, ele gentilmente deu a Bhupendranath a permissão para iniciar outras pessoas no caminho sagrado do Kriya Yoga. Na história sagrada da tradição do Kriya Yoga, não há nenhum outro registo de alguém ter sido concedido uma autorização a ensinar outros neste caminho sagrado numa idade tão jovem.

     Em 26 de setembro de 1895, no dia de Mahashtami, Shri Lahiri Mahasaya partiu do seu corpo físico em Benares. O jovem Bhupendranath correu imediatamente para Benares, na esperança de ver a figura mortal do grande guru pela última vez. Mas, infelizmente, o seu desejo não foi cumprido. Após a sua chegada descobriu que o corpo já tinha sido cremado. Uma tristeza insondável encheu o seu coração ao ouvir a notícia. Por dias a fio soluçou, profundamente e em voz alta. No entanto, um dia pela graça amorosa de Deus e dos Guru, essa tristeza foi silenciada. Ele foi abençoado com a visão do seu adorável Gurudev, que o consolou, dizendo-lhe para não entristecer mais. Disse a Bhupendranath que o olho do guru preceptor estaria sempre no discípulo e que ele iria ter com ele sempre que ele realmente precisasse. Esta visita trouxe a Bhupendranath grande consolo e segurança.

     Muita coisa aconteceu na curta vida de Bhupendranath. Ele encontrou o caminho do Kriya Yoga e foi-lhe dada a santa companhia do seu amado Gurudev. Ele assumiu um novo papel como buscador da Verdade e foi-lhe ordenado por seu guru a responsabilidade de ensinar a técnica sagrada do Kriya Yoga a outros buscadores sinceros.

     Bhupendranath foi resoluto na sua prática e estudo à medida que foi avançando em direção à meta da auto-realização. O jovem sadhaka, com firme fé nas palavras do guru preceptor, mandou-se para a frente com confiança, sabendo que o caminho é difícil, mas que a graça divina está sempre lá. Ele manteve firme a crença que não existe necessidade da preocupação e que deveria continuar-se com força e firmeza. Para si não havia outro caminho a não ser este.

     Bhupendranath (de agora em diante chamado de Shri Sanyal Mahasaya como uma forma honrosa de expressão do seu nome em bengali) continuou a sua viagem com renovada fé e espírito revitalizado.

 

 

 

Excerto traduzido do livro escrito por Paramahamsa Prajnanananda, "Sanyal Mahasaya - Uma Vida de Humildade".

Pode ser adquirido em inglês pelo seguinte website: aqui

 

 

 

 

Acessos: 2569